Associação Brasileira de Tecnologia
para Construção e Mineração

BLOG SOBRATEMA

Publicado em 13 de agosto de 2019 por Mecânica de Comunicação

Remediação do solo é obtida por meio de diferentes técnicas

A contaminação do solo e da água por hidrocarbonetos - compostos orgânicos encontrados em combustíveis derivados do petróleo - é um sério problema ambiental, pois os efeitos podem perdurar durante anos, inutilizando áreas que poderiam abrigar novos empreendimentos ou espaços públicos. Tal contaminação pode ser resultado de derramamentos acidentais e processos de evaporação, porém, na maioria dos casos, o problema surge em decorrência da corrosão de tanques subterrâneos, muito utilizados em postos de combustível.


Felizmente, hoje são conhecidas uma série de técnicas eficientes para combater a contaminação por hidrocarbonetos. O tipo de tratamento categorizado como 'biorremediação' se baseia em processos naturais realizados por microrganismos que degradam os contaminantes e compostos tóxicos e podem ainda transformá-los em subprodutos com menor potencial poluidor do meio ambiente. A biorremediação é mais indicada para áreas com grande extensão e volume e possui a vantagem de exigir um custo mais baixo.


Há também os processos físicos e químicos de remediação, sendo a técnica de bombeamento e tratamento a mais aplicada. Nesse caso, as águas subterrâneas são extraídas por meio de bombas e tratadas objetivando uma posterior reinserção no solo. Outra técnica baseada em processos físicos e químicos é a de remoção de gases; trata-se de um processo não destrutivo baseado na injeção de ar em águas superficiais ou subterrâneas que precisam ser tratadas. O contato da corrente de água contaminada com o fluxo de ar descontaminado provoca a transferência dos poluentes orgânicos voláteis da fase líquida para a fase gasosa, que são tratados posteriormente.


Para determinar de maneira segura a forma mais adequada de despoluir solos e águas subterrâneas é necessária uma investigação abrangente, considerando informações sobre o meio físico, como geologia, pedologia, hidrologia e clima. O monitoramento de resultados do sistema de remediação escolhido é indispensável para avaliar e planejar etapas do processo de descontaminação. Publicada no ano passado, a dissertação de mestrado Avaliação de Técnicas de Remediação em Processos de Contaminação da Água e do Solo por Hidrocarbonetos abordou o tema. A autoria é de José Eduardo Cardoso, com orientação de Paulo Lodi e foi aprovada pela Universidade Estadual Paulista (Unesp).      

}