Associação Brasileira de Tecnologia
para Construção e Mineração

Tendências no Mercado da Construção: Apresentação sobre o programa PPI reforça o cenário positivo para 2020

Durante o evento, foram divulgados os dados inéditos do Estudo de Mercado e os homenageados os Destaque Pós-Venda

Em sua 14ª edição, o evento estratégico Tendências no Mercado da Construção reuniu no dia 28 de novembro, no Espaço Hakka, em São Paulo, quase 400 pessoas, entre empresários, engenheiros, profissionais da indústria, representantes de entidades setoriais, formadores de opinião e jornalistas, que puderam conhecer informações inéditas e relevantes sobre o segmento.

A palestra especial, ministrada pelo Secretário de Fomento e Apoio a Parcerias de Entes Federativos, Wesley Callegari Cardia, trouxe informações sobre o que vem sendo realizado no âmbito do Programa de Parceria de Investimentos (PPI) bem como as últimas aprovações e a previsão de leilões para 2020. O PPI reúne os projetos de concessão e privatização do governo federal em diversas áreas, além de incluir projetos de estados e municípios interessados em participar dessa iniciativa.

Desde o início do programa, criado em 2016, já foram qualificados 287 projetos, com a realização de 160 leilões, que resultaram em investimentos de R$ 695 bilhões e outorgas de R$ 137,1 bilhões. Somente em 2019, foram realizados 35 leilões, com expectativa de investimentos na ordem de R$ 442 bilhões e outorgas de R$ 90,7 bilhões. Entre os segmentos contemplados estão portos (13), aeroportos (12), energia (2), ferrovias (1) e rodovias (1)

Segundo Cardia, após a 11ª reunião do Conselho do PPI, realizada no final de novembro, a carteira atual conta com 127 projetos e 11 políticas, incluindo as áreas de ferrovias (11), aeroportos (22), rodovias (19), portos (23) e energia (24). “As obras públicas precisam ser feitas pelas empresas privadas especializadas em cada setor”, disse o secretário, que ressaltou que essa carteira deve movimentar já no próximo ano o segmento da construção, com impactos importantes na área de equipamentos e máquinas usadas em obras de infraestrutura.

Ele ainda trouxe informações recentes como a inclusão de uma lista de construtoras nacionais dentro do PPI como fonte de parcerias para grupos internacionais interessados em formar alianças locais para investir em projetos de infraestrutura. Por fim, o secretário comentou sobre os projetos municipais, projetos subnacionais, a Fábrica de Projetos BNDES e o Programa Saneamento, com a estruturação de projetos estaduais, objetivando alcançar a universalização do saneamento básico no país.

Estudo de Mercado

O jornalista e economista Brian Nicholson e o vice-presidente da Sobratema, Eurimilson Daniel, apresentaram o mais novo e inédito Estudo Sobratema do Mercado Brasileiro de Equipamentos para Construção. As vendas totais de máquinas para construção devem crescer 37% em 2019 em comparação a 2018. No total, serão 26,4 mil unidades comercializadas neste ano contra 19,3 mil unidades no ano anterior. A linha amarela deve ter uma alta de 31% ante 2018, totalizando 16,6 mil unidades vendidas contra 12,7 mil unidades comercializadas no ano anterior.

De acordo com a análise de Daniel, dos 16,6 mil equipamentos da linha amarela que devem ser comercializados em 2019, mais de 13 mil são de fabricação nacional. “Esse número mostra como a indústria nacional é forte e como ela tem potencial para se fortalecer e crescer ainda mais”, explicou. Para o próximo ano, o Estudo de Mercado estima o aumento de vendas da ordem de 10% no segmento de máquinas da linha amarela e de 13% para todo o setor de equipamentos para construção.

Na sequência, Yoshio Kawakami, consultor da Raiz Consultoria, proferiu a palestra “Recuperar sim, repetir não!”, com uma avaliação sobre o mercado atual de equipamentos para construção e sobre cenários para o futuro, incluindo possíveis ajustes que poderão ser feitos pelas empresas para atender as atuais ou novas demandas do mercado. “Precisamos olhar para o que está mudando de fato, caso contrário as diferenças não serão percebidas e não será possível realizar os ajustes necessários”, explicou.

Kawakami enfatizou que as relações entre os protagonistas serão diferentes no futuro, porque a recuperação do mercado não representa a repetição do que ocorreu no passado. “Essas relações se desgastam e as carteiras comerciais se transformam. Alguns clientes poderão deixar de existir e sempre haverá novos players e novos clientes a serem conquistados”.

Por fim, o consultor ressaltou que o setor, por ser bastante tradicional, precisa quebrar alguns paradigmas, como a busca por novas soluções, ou seja, inovar; o aprofundamento do negócio com uma visão cada vez mais sistêmica; evoluir nas relações entre os protagonistas; desenvolver uma “solução de cadeia” com eficiência total e realizar a recuperação, sem fazer repetições.

A Entidade

O evento Tendências no Mercado da Construção foi aberto pelo presidente da Sobratema, Afonso Mamede, que ressaltou as iniciativas existentes no setor que contam com o apoio e a participação da entidade, como o Reformar para Mudar, que atua para melhorar a interlocução entre o setor produtivo os poderes executivo e legislativo, apoiar às reformas estruturais para melhoria do pais e discutir os principais temas que norteiam o desenvolvimento do Brasil. São 28 associações e entidades participantes.

Mamede ainda citou o trabalho promovido dentro do âmbito da CLP – Liderança Pública, do Consic e Deconcic - FIESP (Conselho Superior da Indústria da Construção  e Departamento da Indústria da Construção e Mineração da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), da Brasinfra (Associação Brasileira de Sindicatos e Associações de Classe de Infraestrutura), da Analoc (Associação Brasileira dos Sindicatos e Associações Representantes dos Locadores de Equipamentos, Máquinas e Ferramentas), da Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) e da Abramat (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção)

O presidente da Sobratema também concedeu informações sobre os diversos programadas da entidade, como a Revista M&T, Revista Grandes Construções, Guia Sobratema de Equipamentos, Custo-Horário de Equipamentos, Instituto OPUS de Capacitação Profissional, entre outros.

Na sequência, o diretor de feiras da Messe München do Brasil, Augusto Andrade, trouxe informações da Smart.Con, que ocorrerá nos dias 17 e 18 de junho de 2020, no São Paulo Expo, bem como apresentou o vídeo da M&T Expo 2021, marcada para julho de 2021. A Smart.Con tem como foco tecnologia e inovação para os setores de engenharia, infraestrutura, real estate e rental. Uma fusão entre summit e mostra de produtos, trará 125 horas de conteúdo distribuídas em uma grande arena e em cinco palcos espalhados pelo evento.

O publicitário Vagner Barbosa, diretor da Agência Canteiro, responsável pelo marketing e comunicação da BW Expo 2020, subiu ao palco para divulgar informações atualizadas da feira, que acontecerá entre os dias 6 e 8 de outubro, no São Paulo Expo. Com uma proposta diferenciada, o evento multidisciplinar enfatizará as tecnologias voltadas para a sustentabilidade ambiental, por meio da exposição de produtos, de conteúdo qualificado e dos Núcleos Temáticos, espaços direcionados para assuntos de alta relevância no que diz respeito à diminuição do impacto ambiental e da proteção do planeta. Barbosa contou que já estão confirmados três Núcleos Temáticos: Conservação de Recursos Hídricos, Construção Sustentável e Economia Circular.  

Pós-Venda

O Tendências no Mercado da Construção encerrou com o anúncio das marcas melhor avaliadas do Destaque Pós-Venda Sobratema 2019. Essa é a quinta edição do projeto, criado pelo Núcleo Jovem da Sobratema. Foram cinco diferentes categorias de equipamentos premiadas e os homenageados receberam um troféu como forma de reconhecimento e um Selo para utilizar em seus materiais de divulgação.

Os homenageados (em ordem alfabética) foram:

  • Equipamentos de Concreto (fabricação, transporte e bombeamento): Fiori, Liebherr, Schwing-Stetter
  • Equipamentos de Perfuração: Epiroc e Furukawa
  • Equipamentos de Terraplenagem: Caterpillar Brasil, JCB e New Holland Construction
  • Equipamentos Guindastes e Gruas: Liebherr, PHD e XCMG
  • Equipamentos para Trabalho em Altura e Empilhadeiras: Caterpillar Brasil

O 14º Tendências no Mercado da Construção é uma realização da Revista M&T, e contou com o apoio da Metso, Gordon Brothers, Bauko, Gripmaster, Komatsu, New Holland Construction, Shark Máquinas, Case Construction Equipment, Encopel, JCB, John Deere, Lotti Leilões, Romanelli, Schwing-Stetter, Sotreq/Caterpillar e Volvo Construction Equipment.

}